Marcadores

15 bons motivos 365sorrisos abertura abhyasa adhomukha svanasana ahimsa alegria alimentação alinhamento alma amizade amor Ana Borella Analu anjali mudra ansiedade aparigraha aprendizado aquieta a mente ardha uttanasa arrependimento artrite arvore do ioga asana ásana asana do mês ashtanga vinyasa yoga atitudes atma Aula de yoga aulão aulas de yoga auto-estudo balão balasana bambu Bioenergética BKS Iyengar caminho caridade Casa do Yogue cautela centro comunitário chacras ciclo menstrual cifose cobra compaixão condução consciência consciencia corporal consciência corporal contentamento coração corpo cortisol cotidiano crença criança Dalai-Lama Débora Rey desapego Desikachar Deus devoção dia mundial sem carro diabetes dicas para a pratica disciplina disco disposição divulgação documentário dor doula eficaz emagrecimento emoção encontro entrega envelhecimento envoltórios equilíbrio escolha espaço de yoga essencial estabilidade estatística estresse estudar ética ética universal eventos evolução experiência Fabiana Rodrigues fadiga falatório felicidade férias fertilidade fibromialgia filme flexibilidade Floripa frequência cerebral funcionamento das células Gandhi Ganesha gestantes Geta Iyengar girassol glicemia Glória Arieira gratidão guruji habilidade hatha yoga Hermógenes honestidade Horários humildade Ibirapuera informação insônia intensivo interno Introdutório I inverno invertido invocação a Patanjali invocações Iswara Iyengar Iyengar em Pinda Iyengar em Taubaté Iyengar Yoga Iyengar Yoga em Pinda Iyengar Yoga em Pindamonhangaba jabuticabeira juntos karma yoga kriya kuruntha leitura leveza liberdade Ligh on Yoga lista livros lixo tóxico Lois longevidade lua luz mandala Mandala yoga mantra mãos em prece Marcos Rojo mat mauna meditação meio ambiente moderação motivos mudança músculos nada nadis Namaskar narinas natureza novidade nyamas obesidade infantil obrigação olhar om ondas cerebrais oração Paramahamsa Yogananda parivrtta trikonasa partner yoga parto paschimottanasana passado Patanjali paz paz no dia a dia perdão perfeição pesquisa Pinda Pindamonhangaba Poema Se poluição postura power yoga prakiti pranayama PranaYoga Journal pratica prática prática constante pratica pessoal pratyahara prazer presença pressão alta professor props puja purusa recomeçar refém reflexões religião remédios respiração restaurativa restauro resultado retorno rigidez rosa sadhana sala de yoga samskara sanscrito santoscha satchakra saudação ao sol saúde savasana sentimentos Shiva Sidarta Gautama significado silêncio simplicidade sistema imunológico sistema linfático sol sorriso surf Surya surya namaskar tapas tensão torso humano trajetória transformação união útero vairagya Vale do Paraíba valores vedanta vela verdade viparita karani Viver yoga pela paz vulnerabilidade Workshop yamas yoga yoga em Pinda yoga em Pindamonhangaba yoga em Taubaté yoga no bosque yoga para mulheres yoga para todos yoga pela paz Yoga Terapia Hormonal Yogananda yogues

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Tempos de espera (trecho do livro) - Pe. Fabio de Melo


Eles são submissos. Mas não há sofrimento nesta submissão.
A sabedoria vegetal os conduz a uma forma de seguimento surpreendente.
Fidelidade incondicional que os determina no mundo, mas sem escravizá-los.
A lógica é simples. Não há conflito naquele que está no lugar certo, fazendo o que deveria.
É regra da vida que não passa pela força do argumento, nem tampouco no aprendizado dos livros.
É força natural que conduz o caule, ordenando e determinando que a rosa realize o giro, toda vez que mudar a direção do Regente.
Estão mergulhados numa forma de saber milenar, regra que a criação fez questão de deixar na memória da espécie. Eles não podem sobreviver sem a força que os ilumina.
Por isso, estão entregues aos intermitentes e místicos movimentos de procura.
Eles giram e querem o sol. Eles são girassóis.
Deles me aproximo. Penso no meu destino de ser humano.
Penso no quanto eu também sou necessitado de voltar-me para uma força regente, absoluta, determinante. Preciso de Deus. Se para Ele não me volto corro o risco de me desprender de minha possibilidade de ser feliz. É Nele que meu sentido está todo contido.
Ele resguarda o infinito de tudo o que ainda posso ser. Descubro maravilhado.
Mas no finito que me envolve posso descobrir o desafio de antecipar no tempo, o que Nele já está realizado.
Então intuo. Deus me dá aos poucos, em partes, dia a dia, em fragmentos.
Eu Dele me recebo, assim como o girassol se recebe do sol, porque não pode sobreviver sem sua luz.
A flor condensa, ainda que de forma limitada, porque é criatura, o todo de sua natureza que o sol potencializa.
O mesmo é comigo. O mesmo é com você.
Deus é nosso sol, e nós não poderíamos chegar a ser quem somos, em essência, se Nele não colocarmos a direção dos nossos olhos.
Cada vez que o nosso olhar se desvia de sua regência, incorremos no risco de fazer ser o nosso sol, o que na verdade não passa de luz artificial.
Substituição desastrosa que chamamos de idolatria.
Uma força humana colocada no lugar de Deus.
A vida é o lugar da Revelação divina.
É na força da história que descobrimos os rastros do Sagrado.
Não há nenhum problema em descobrir nas realidades humanas algumas escadarias que possam nos ajudar a chegar ao céu.
Mas não podemos pensar que a escadaria é o lugar definitivo de nossa busca.
Parar os nossos olhos no humano que nos fala sobre Deus é o mesmo que distribuir fragmentos de pólvora pelos cômodos de nossa morada.
Um risco que não podemos correr.
Tudo o que é humano é frágil, temporário, limitado. Não é ele que pode nos salvar.
Ele é apenas um condutor.
É depois dele que podemos encontrar o que verdadeiramente importa.
Ele, o fundamento de tudo o que nos faz ser o que somos.
Ele, o Criador de toda realidade. Deus trino, onipotente, fonte de toda luz.
Sejamos como os girassóis...
Uma coisa é certa. Nós estamos todos num mesmo campo.
Há em cada um de nós uma essência que nos orienta para o verdadeiro lugar que precisamos chegar, mas nem sempre realizamos o movimento da procura pela luz.

Sejamos afeitos a este movimento místico, natural.
Não prenda os seus olhos no oposto de sua felicidade.
Não queira o engano dos artifícios que insistem em distrair a nossa percepção.
Não podemos substituir o essencial pelo acidental.
É a nossa realização que está em jogo.
Girassol só pode ser feliz se para o Sol estiver orientado.
É por isso que eles não perdem tempo com as sombras.
Eles já sabem, mas nós precisamos aprender.


Forte abraço.
Namastê :)

Um comentário:

  1. Oi adorei sua resenha!.. muito obrigado...me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir