Marcadores

15 bons motivos 365sorrisos abertura abhyasa adhomukha svanasana ahimsa alegria alimentação alinhamento alma amizade amor Ana Borella Analu anjali mudra ansiedade aparigraha aprendizado aquieta a mente ardha uttanasa arrependimento artrite arvore do ioga asana ásana asana do mês ashtanga vinyasa yoga atitudes atma Aula de yoga aulão aulas de yoga auto-estudo balão balasana bambu Bioenergética BKS Iyengar caminho caridade Casa do Yogue cautela centro comunitário chacras ciclo menstrual cifose cobra compaixão condução consciência consciencia corporal consciência corporal contentamento coração corpo cortisol cotidiano crença criança Dalai-Lama Débora Rey desapego Desikachar Deus devoção dia mundial sem carro diabetes dicas para a pratica disciplina disco disposição divulgação documentário dor doula eficaz emagrecimento emoção encontro entrega envelhecimento envoltórios equilíbrio escolha espaço de yoga essencial estabilidade estatística estresse estudar ética ética universal eventos evolução experiência Fabiana Rodrigues fadiga falatório felicidade férias fertilidade fibromialgia filme flexibilidade Floripa frequência cerebral funcionamento das células Gandhi Ganesha gestantes Geta Iyengar girassol glicemia Glória Arieira gratidão guruji habilidade hatha yoga Hermógenes honestidade Horários humildade Ibirapuera informação insônia intensivo interno Introdutório I inverno invertido invocação a Patanjali invocações Iswara Iyengar Iyengar em Pinda Iyengar em Taubaté Iyengar Yoga Iyengar Yoga em Pinda Iyengar Yoga em Pindamonhangaba jabuticabeira juntos karma yoga kriya kuruntha leitura leveza liberdade Ligh on Yoga lista livros lixo tóxico Lois longevidade lua luz mandala Mandala yoga mantra mãos em prece Marcos Rojo mat mauna meditação meio ambiente moderação motivos mudança músculos nada nadis Namaskar narinas natureza novidade nyamas obesidade infantil obrigação olhar om ondas cerebrais oração Paramahamsa Yogananda parivrtta trikonasa partner yoga parto paschimottanasana passado Patanjali paz paz no dia a dia perdão perfeição pesquisa Pinda Pindamonhangaba Poema Se poluição postura power yoga prakiti pranayama PranaYoga Journal pratica prática prática constante pratica pessoal pratyahara prazer presença pressão alta professor props puja purusa recomeçar refém reflexões religião remédios respiração restaurativa restauro resultado retorno rigidez rosa sadhana sala de yoga samskara sanscrito santoscha satchakra saudação ao sol saúde savasana sentimentos Shiva Sidarta Gautama significado silêncio simplicidade sistema imunológico sistema linfático sol sorriso surf Surya surya namaskar tapas tensão torso humano trajetória transformação união útero vairagya Vale do Paraíba valores vedanta vela verdade viparita karani Viver yoga pela paz vulnerabilidade Workshop yamas yoga yoga em Pinda yoga em Pindamonhangaba yoga em Taubaté yoga no bosque yoga para mulheres yoga para todos yoga pela paz Yoga Terapia Hormonal Yogananda yogues

domingo, 25 de novembro de 2012

Luz na prática diária - Orações invocatórias

"Peço que todos vocês recitem a oração a Patañjali no inicio das aulas. Se não puderem fazê-lo em sânscrito, recitem a tradução. Dessa maneira, invocaremos a presença de Patañjali no momento da prática. Recitamos tal oração pelo simples motivo de considerá-lo nosso guru na ioga. Esse grande sábio nos deu a gramática para a fala correta, a medicina para a saúde e a ioga para a cultura da mente. Quando estamos em nosso sadhana de ioga, devemos pensar nele e prestar-lhe nossos respeitos para que nossa mente esteja em sntonia com o sbons pensamentos de seu trabalho."


Invocação a Patañjali
Yogena cittasya padena vacam
Malam Sarirasya ca vaidyakena
Yopakarottam pravaram muninam
Patanjalim pranjaliranatosmi

Abahu purushakaram
Shankha chakrasi dharinam
Sahasra sirasam svetam
Pranamami patanjalim

"Ao mais nobre dos sábios, Patañjali,
que nos deu a ioga para a serenidade da mente,
a gramática para a pureza da fala
 e a medicina para a saúde do corpo, eu me curvo.
Eu me ajoelho ante Patañjali,
cujo parte superior do corpo possui forma humana,
cujos braços seguram uma concha e um disco,
e que é coroado por uma cobra de mil cabeças.
Oh, encarnação de Adisesa,
minha saudações a Vós." 
  P. O senhor poderia falar um pouco sobre o significado de cada um dos seguintes símbolos: a concha, o disco, a cobra e o torso humano? "Como a concha pode ser soprada, ela representada uma espécie de aviso se algum perigo interferir, como espíritos malignos ou doenças, enquanto o disco indica que é possível destruir os pensamentos ruins, os espíritos malignos ou as doenças. Asi significa espada. Em uma mão, ele segura a espada do conhecimento para destruir a ignorância. Na outra ele abençoa os que praticam ioga. Em outro aspecto, ele une as palmas das mãos e saúda o assento do antaratman - o Deus. simbolicamente mostrando que, por meio da ioga, alcançamos Deus."   P. E a cobra? "Você sabe que é a cobra que segura a Terra. Ela é protetora do universo. No Hathayoga Pradipika, a primeira estrofe do terceiro capítuo afirma: 'Ananta, o Deus das Serpentes, sustenta a Terra com suas montanhas e serpentes; da mesma forma, kundalini - a energia da serpente - é o sustentáculo principal de todas as práticas de ioga[...]" Desde a antiguidade, quase todas as religiões cultuaram o Deus Serpente. Toda mitologia possui alguma espécie de culto á serpente. Havia a crença de que as cobras não morriam, mas largavam a pelo dela e emergiam renovadas. Essa eternidade das cobras tornou-se  simbólica. Essa qualidade imemorial das serpentes é chamada de ananta - sem fim. A cobra é símbolo de ternidade, fertilidade e regeneração. É um simbolo de sabedoria, também. Ela é associada com os feitos bons e maus do homem, não é? Todas as religiôes dizem que precisamos dominar as tormentas emocionais. como luxúria, ambição, ira, malícia e por aí vai. A cobra é venenosa, mas seu venenosos. Precisamos converter nossa natureza e desenvolver as qualidades opostas. como calma, controle da continência, amor, satisfação etc."   P. E o quarto símbolo é o torso humano. "Você deve ter ouvido falar da história do nascimento de Patañjali. Ele era um verme que assumiu froma humana, e sua mãe, Gaunika, era virgem, assim como Maria. Isso indica o processo de evolução, a forma como se pode progredir de uma pequena criatura para um ser humano. É o crescimento e a expansão da inteligência. Essa cabeça na forma humana serve para explicar a essência da ioga." Livro: A sabedoria e a prática da ioga - BKS Iyengar - pág.88/89   Entre "aspas" respostas do Guruji :) Forte abraço!!! Namaskar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário